Ultimas

terça-feira, 7 de junho de 2016

Conta não fecha! PI só tem 45 delegados para 223 cidades

Aprovados esperam nomeação e sindicato ainda briga com a Sead por questões salariais
Imagem reprodução da web

Faça as contas: 45 delegados para atender 223 municípios no Piauí. Resultado = caos na segurança pública.

Estes números foram apresentados nesta terça-feira (07/06) à imprensa para chamar atenção diante da necessidade de preencher este enorme buraco que prejudica a população, à mercê da criminalidade, e os profissionais, que muitas vezes precisam ganhar poderes de onipresença para estar em até 10 cidades ao mesmo tempo.

E se faltam delegados no interior, sobram aprovados para serem nomeados pelo estado. Somente do último concurso da Polícia Civil são 24 esperando para começar a trabalhar. Há ainda 19 escrivães e 58 agentes de polícia aprovados e já formados pela Academia de Polícia Civil que aguardam serem nomeados pelo governo do estado do Piauí.

“Os delegados ficam responsáveis por cinco, seis cidades ou até mais. É uma situação precária em que o profissional não tem como dar uma resposta efetiva para a sociedade. O absurdo maior é que temos 24 delegados aprovados no último concurso que já estão formados desde junho de 2015. Eles esperam apenas serem nomeados para começar a trabalhar”, disse Alisson Landim Macêdo, da comissão dos aprovados o último concurso público para delegado, em nota encaminhada à imprensa.

O problema em relação à falta de delegados para atender o interior já foi parar na justiça e, em 31 de março deste ano, foi concedida liminar determinando que o Estado do Piauí nomeie imediatamente um delegado para o DP de Bertolínia, a 391 km ao Sul de Teresina. O documento fixou uma multa de R$ 10 mil por dia em caso de descumprimento da liminar.

Andrea Magalhães, presidente do sindicato dos Delegados do Piaui, afirma que nem mesmo chamando todos os aprovados no último certame dará fim ao problema, sendo necessária a realização de novos concursos.

“A situação do interior continua caótica. Temos mais delegados para serem empossados, cerca de 24, e mesmo com a nomeação deles ainda vai ficar o fosso. Precisamos até de um novo concurso. Alguns delegados têm que atender 10 cidades, a gente não tem como oferecer um serviço a contento. A população procura o delegado e não tem como ele estar em 10 locais ao mesmo tempo”, afirmou.

QUESTÃO SALARIAL
Não bastasse a carência, a questão salarial também é problema na polícia civil. Os delegados vão se reunir nesta semana com o secretário de Administração Franzé Silva para tratar das promoções prometidas para a categoria, e que até agora não foram efetivadas.

Estas promoções foram anunciadas em abril deste ano, e contemplaria tanto a Polícia Civil como a Militar. Mas, segundo o sindicato dos delegados, apenas as promoções da PM tiveram andamento. “Mesmo representando um montante bem menor de impacto financeiro, estão paradas, sem prazo para conclusão, nos gabinetes da burocracia e da falta de vontade”, destacou Andréia Magalhães em comunicado à imprensa.

Fonte: 180graus
 
Todos os direitos reservados © 2016 - FMNews.com.br
Contato: (89) 994010353 e (89) 994174202